sábado, 21 de junho de 2008

UM LUGAR PARA SER FELIZ

Alfabetizar é bom?
Nas visitas de pais a instituições de educação infantil, um dos temas bastante abordados é a questão da alfabetização. Algumas escolas se gabam de alfabetizar as crianças até o término do ciclo, e os pais acham o máximo. Porém... será que isso é bom? Esse critério deve ser considerado na seleção da escola? Segundo Silvia, ao terminar a educação infantil, com 5 anos e 11 meses - agora, o ensino fundamental começa aos 6 anos -, a criança não precisa estar totalmente alfabetizada: "Ela pode e deve ter muitas informações sobre o mundo da escrita, certa desenvoltura ao desenhar e combinar letras."
Isso porque o processo de alfabetização, explica a especialista, começa logo que a criança interage com o mundo da leitura e da escrita. Assim, nos primeiros anos escolares, espera-se que a escola promova o contato da criança com o universo das letras e das palavras. "Mas deve ser uma aproximação prazerosa, inteligente, não ostensiva, nem obrigatória", adverte a especialista. Ou seja, se a criança se alfabetizar naturalmente, porque teve uma boa resposta aos estímulos, muito bem. Mas, nessa fase, não vale a pena sacrificar as atividades lúdicas para que a criança aprenda a ler e escrever. Estar alfabetizada aos 6 anos, dizem os especialistas, não significa que a criança é mais ou menos inteligente.
Veja, a seguir, os principais critérios para que você possa fazer uma escolha segura da primeira escola de seu filho:
- Perto de casa
Comece procurando uma escola perto de casa, especialmente se você mora em uma cidade onde o trânsito pode cansar e estressar a criança pequena. Além disso, a facilidade para que você mesmo leve ou busque seu filho da escola favorece o contato com os profissionais. A proximidade entre escola e casa também pressupõe que os amiguinhos morem por perto, ajudando na socialização da criança.
- Experiência garantida
Uma trajetória longa tende a demonstrar que a escola tem uma estrutura sedimentada e a aceitação da comunidade. Mas tradição, apenas, não basta. A indicação de amigos que conhecem a instituição de perto é sempre valiosa. Uma escola recém-inaugurada não precisa ser descartada, mas merece atenção redobrada. Verifique qual a experiência anterior dos donos da escola e de sua equipe na área de educação infantil.
- Hora da visita
É imprescindível visitar pessoalmente as escolas pré-selecionadas. De preferência, vá com tempo e disposição para olhar e conversar. A forma como a escola agenda essa visita e recebe os pais costuma dar pistas de qual sua disponibilidade e postura em relação às dúvidas e colocações da família. Vale a pena marcar a visita em um dia de aula normal, para que você possa ver os professores trabalhando, bem como as atividades das crianças.
- Sintonia pedagógica
Há diferentes concepções pedagógicas, igualmente sérias e recomendadas. Vale a pena ampliar e aprofundar suas informações a respeito (veja reportagem na página 8). Afinal, o mais importante é você ter clareza sobre qual é a educação que quer para seu filho e buscar uma escola que esteja em sintonia com esse propósito. A visita à escola é o momento oportuno para conversar sobre as propostas, valores e posturas da instituição.
- Limpo, seguro, mas sem exagero
Quesitos essenciais, a limpeza e a segurança precisam ser observadas na dose certa. Se, num extremo, não podem faltar toalhas de papel ou de tecido individuais, no outro, o excesso de uso de material de limpeza pode ser prejudicial. Lembre que é inevitável - e até desejável - certa desorganização quando crianças estão em ação. Crianças com mãos sujas de tinta não significa necessariamente um descuido, pois podem ter acabado uma atividade artística. Quanto à segurança, é importante a atenção com escadas, portas, balanços ou escorregadores, mas não necessitam ser evitados, pois o espaço precisa ser desafiante.
- Viva a brincadeira
Ao entrar nas salas, observe os materiais disponíveis. Cadeiras e mesas não são o suficiente: é essencial haver brinquedos variados, livros acessíveis às crianças. Também ganha pontos a escola com espaço externo, de preferência arborizado, com área livre para a turma correr e tomar sol.
- Equipe preparada
Além de ter professores com nível superior (o que é obrigado por lei), uma boa escola investe continuamente na atualização e na capacitação dos docentes e funcionários. Durante a visita, avalie quais os perfis dos profissionais da equipe, incluindo auxiliares, coordenação e diretoria.
- Acolhimento total
Pergunte de que forma a escola lida com a fase de adaptação da criança pequena. É importante que seja um processo cuidadoso, gradual, preocupado em acolher bem a criança em um lugar desconhecido, para que possa formar vínculos de segurança e confiança.
- Canal aberto
Os pais devem encontrar um canal aberto com a equipe da escola para expressar suas dúvidas, sugestões e insatisfações. Verifique como esse atendimento está organizado, se há atividades regulares com as famílias, horários individuais etc.