sábado, 7 de junho de 2008

Outras estratégias

O professor pode proporcionar atividades e técnicas que instrumentalizam o aluno com TDAH a manejar de maneira mais eficaz suas dificuldades dentro de uma programação que inclua todos os alunos:
reunir a turma para praticar estratégias de resolução de problemas, ajudando a desenvolver habilidades na resolução de conflitos; a conscientização é a chave para controlar a impulsividade, pois é preciso aprender a parar e pensar antes de agir;
ensinar hábitos de cooperação em situações reais;
usar técnicas de relaxamento e ensinar técnicas de automonitoramento;
quando houver necessidade de mediação, utilizar a abordagem cognitiva;
fazer os encaminhamentos adequados (fonoaudiologia, acompanhamento psicopedagógico, psicoterapia cognitivo-comportamental) quando a situação assim o exigir.
Recursos materiais
A partir dos objetivos e conteúdos selecionados, deve-se organizar os recursos necessários de modo a conseguir o que se pretende. Os recursos didáticos são facilitadores da aprendizagem e apresentam três funções: motivadora, de apoio à apresentação do conteúdo e estruturadora para nortear as estratégias de ensino-aprendizagem.Em função do apelo intrínseco a novidades que o aluno com TDAH apresenta, deve-se utilizar todos os recursos disponíveis que tornam uma aula mais interessante e mais dinâmica: gravador, computador, retroprojetor, projetor de slides, muita cor (giz colorido para a lousa, canetas ou lápis coloridos para anotações no caderno ou livro), revistas para recortes, música e confecção de materiais pelos próprios alunos em função do tema abordado.Recursos humanosO grupo de apoio da escola – orientadora, psicóloga 0 deve ser aproveitado, como também pode-se contar com os profissionais que acompanham o aluno fora da escola. Geralmente, outros profissionais colaboram com o professor no processo de ensino-aprendizagem (fonoaudiólogo, psicólogo, coordenador pedagógico, psicopedagogo, professor de apoio). Esses profissionais devem elaborar, junto com o professor, a programação da aula, considerando suas necessidades.Em casos de dificuldades muito graves, talvez seja necessária a ação de um tutor junto ao aluno, mesmo durante o período regular de aula. Ele seria um intermediário entre o que o professor propõe para a classe como um todo e o aluno que tem suas possibilidades de desempenho muito reduzidas, orientando-o em suas necessidades especificas ou adequando as atividades à sua capacidade.