quinta-feira, 27 de março de 2008

Dicas para o TDAH infantil


Educar um filho com TDAH não é tarefa das mais simples.

É preciso ser paciente, calmo e ter bastante jogo de cintura.

Além de seguir religiosamente o tratamento prescrito pelo psiquiatra, há algumas dicas simples que podem tornar a vida dos pais e da criança mais sadia e feliz.

O comportamento dos pais não é a causa do TDAH, mas pode agravá-lo. O velho clichê de oferecer à criança um lar feliz, com harmonia e carinho, onde ela se sinta amada e querida, também vale aqui. E muito.


A criança com TDAH é sempre criticada, chamada de bagunceira e se sente frustrada por não conseguir corresponder às expectativas dos pais.

Ofereça atenção e carinho ao seu filho.
A casa precisa ter regras claras e que sejam seguidas por todos. Pelos pais principalmente.

A máxima do "faça o que eu digo mas não faça o que eu faço" não tem vez. Só assim a criança terá parâmetros de comportamento claros e saberá o que pé exigido dela.

Quem tem TDAH se esquece das coisas com facilidade e ter uma rotina regular ajuda a criança a se “organizar”.
Elogie, elogie, elogie. O estímulo nunca é demais. A criança precisa ver que seus esforços em vencer a desatenção, controlar a ansiedade e manter o "motorzinho de 220 voltz" em baixas rotações está sendo reconhecido.

Lembre-se que ela está sempre tentando corresponder às expectativas, mas às vezes não consegue.
A dica número 3 não é sinônimo de permissividade. A criança tem que ter limites claros e o respeito a eles precisa ser exigido.

Com uma boa dose de carinho, evidentemente. Tudo precisa ser adaptado à realidade da criança. Não adianta nada tentar estabelecer uma disciplina militar.


Leia muito sobre o assunto e tente entender como funciona a cabeça do seu filho.
Compreenda as suas limitações e não exija demais dele.

A melhor maneira para aprender a lidar com a criança portadora de TDAH é se informar.

O psiquiatra ou o neurologista especializados são sempre a melhor fonte para recomendar livros, textos e sites relacionados.